Oficinas para CEDESP : Projeto de Vida e o poder do não – Prevenção de drogas

Justificativa: O projeto surgiu da necessidade de se falar abertamente sobre o quanto o uso de drogas poderá interferir no projeto de vida dos jovens, de trocar e adquirir informações sobre o assunto e refletir sobre o poder do NÃO.

Engana-se quem acha que adolescentes aparentemente sem problemas nunca experimentaram drogas. Por isso é importante informar o jovem sobre os malefícios do vício. Essa noção foi a matriz da Oficina ” Projeto de Vida e o poder do não – Prevenção de drogas, que foi desenvolvido no mês de setembro de 2019 pela Associação Comunitária Despertar com a participação do Sr. Marcelo Ferreira que auxiliou e respondeu às questões dos usuários por meio de bate-papo, roda de conversa e dinâmicas de grupo, muito comum o jovem ter contato com algum tipo de droga. “Mas há uma grande diferença entre o ato de experimentar e a necessidade de continuar”, diz o especialista em combate às drogas Marcelo Ferreira, que atribui a curiosidade dos jovens às próprias características dessa fase da vida. “A adolescência é um momento em que a pessoa enfrenta limitações e frustrações. A droga funciona como uma fuga de tudo isso.” Falar sobre drogas, porém, não basta. Segundo Marcelo Ferreira, dependendo da forma como o assunto é tratado, pode até estimular a curiosidade pelo uso. “É preciso mostrar que a droga é algo que vai estragar o corpo, influenciar a forma de pensar, nas decisões sobre as escolhas e interferir no projeto de vida”.

A ação preventiva tem também como justificativa o diagnóstico da situação de risco da comunidade, que mostra um percentual elevado de pessoas envolvidas com o uso do álcool, tabaco, bem como diversas drogas ilícitas como maconha, cocaína e outras mais.

 Objetivos: 

  • Desenvolver a espontaneidade e a autoestima dos jovens para facilitar a comunicação com os pais, não só de modo geral, mas em especial sobre a questão das drogas.
  • Fazer o jovem refletir sobre seu poder decidir NÃO usar drogas.
  • Promover reflexão sobre o grupo social que está inserido e poder fazer as escolhas sem ser influenciado.
  • Tratar a difusão dos conhecimentos sobre drogas.

 Atitudes positivas na prevenção ao uso indevido de drogas: Observar como a educação, no tocante ao uso de drogas, pode acompanhar a vida toda, pois até entre os idosos estão crescendo os problemas a ele associados, notadamente, em relação ao álcool e a certos medicamentos.

 Intervenção juntos aos jovens: 

  • Sensibilizar o grupo sobre a questão das drogas em sua vida, na sala de aula, na organização social e arredores.
  • Ajudar o grupo a repensar sua atitude diante da questão das drogas.
  • Conscientizá-los de que o fumo e a bebida alcoólica constituem drogas
  • Facilitar a percepção do grupo acerca de mitos e preconceitos na questão das drogas.
  • Sensibilizá-los para a participação direta nas atividades de prevenção ao uso indevido de drogas.

Estrategias: 

As turmas envolvidas trabalharam individualmente e em grupos para pesquisas e debates.

Debates e rodas de conversas

Dinâmicas de grupos

Exposição das ideias

Vídeos

Depoimentos de jovens

 Foi possível:

  • Diagnosticar o índice de jovens envolvidas com drogas.
  • A falta de discernimento sobre os reais efeitos das drogas vida do usuário
  • Conhecer a situação real, as dificuldades e depoimentos de vida.
  • A falta de interação entre os familiares
  • Pensar sobre as escolhas e as consequências das mesmas
  • Perceber o quanto gostam da Despertar
  • E que muitos querem um futuro

 Após cada atividade, aconteceram trabalhos em grupos como discussões e registro de ideias

Avaliação:A avaliação aconteceu durante todo o processo da realização da Oficina, através da observação dos envolvidos.

Durante o desenvolvimento dos trabalhos foi importante que o educador e o oficineiro responsável estiveram presentes para interagir com o processo de trabalho dos jovens, diagnosticando diferenças e conquistas, proporcionando uma análise das etapas do projeto.

Sugestão: A equipe de educadores, direção e coordenação devem encorajar os participantes do projeto a dizerem “NÃO” a qualquer espécie de droga.

Na conclusão final o Sr. Marcelo Ferreira solicitou aos participantes uma avaliação geral de todo o processo e considerou significativa.

 A Oficina propõe: Com esta oficina, esperamos que os jovens se tornem mais conscientes sobre os malefícios causados pelo abuso de drogas à vida humana e que devem sim, buscar sempre formas de melhorar a sua qualidade de vida, agindo com responsabilidade, preservando a nossa maior fonte de felicidade e realização: a saúde.

 “Dizer não às drogas significa estar receptivo a tudo o que o mundo nos proporciona de bom e prazeroso, ser capaz de vencer as pressões negativas da massificação, do consumismo, da corrupção e da violência.”

novembro 7, 2019

Inclua seu Comentário

*